segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Christmas Mode = OFF 2 - A Missão

Como o assunto não parasse de dar pano pra manga minha fiel leitora Jana, não satisfeita com minhas explicações sobre os símbolos católicos, quis falar por ela mesma o que ela entende pelos tais. Dei-lhe o tal direito de resposta aqui (mas não se acostumem!):

Bom, atendendo ao convite da Helga, vou tentar escrever um pouquinho sobre o significado da cruz e do peixe para os católicos.

A cruz significa basicamente o sacrifício de Cristo e o caminho da salvação. Jesus disse numa passagem que todo aquele que o quiser seguir, que negue a si mesmo (renúncia ao mundo), tomasse sua cruz e o seguisse (Mt, 16,24). Por sua própria cruz entendemos nossa história de vida, nossos defeitos, pecados... Por força de Jesus é que conseguimos levar nossa cruz adiante. Diz uma historinha de catequese que um lado do cruxifixo sempre é liso, e o motivo é que aquele lado é reservado ao seguidor de Jesus, alcançando o caminho da salvação por meio de Jesus.

A cruz também significa que o homem velho foi cruxificado, aquele homem (cabe mulher tb, claro) que vivia em pecado ou sem consciência do amor de Deus morreu. E agora há um homem novo, 'transformado pela sabedoria da cruz' (1Co 2), que conhece o caminho reto e segue o modelo de Jesus – humilde e obediente até à morte (Fp 2,1-8). Resumindo: 'sobre a cruz levou nossos pecados no seu corpo para que, mortos para os nossos pecados, vivamos para a Justiça' (1P 2, 21-24).

O peixe é um ótimo símbolo, mas representa, principalmente, uma forma de sobreviver a perseguição que os primeiros cristãos sofreram. Ainda representa fartura, amor, Cristo... mas como "o foco" dos católicos é o caminho para a salvação eterna nosso símbolo maior é a cruz, porque por meia dela se fez nossa salvação.

Juro que tentei resumir... rs A fonte básica é a Bíblia - a minha é a de Jerusalém, a melhor tradução na minha opinião e as notas são ótimas – e o Vocabulário de Teologia Bíblica (7ª ed, Ed. Vozes), que traz pequenos estudos sobre diversos temas bíblicos.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Melhores do Mundo?

Havia há algum tempo uma tal de companhia de teatro chamada Companhia de Teatro Os Melhores do Mundo. Eu nunca tinha ido mas minha irmã e insistia, liriri bla bla bla.. acabou que um dia os caras já estavam mandando tão bem que lançaram até uma campanha de uma peça por mês. E eram títulos engraçados: Dingou Béus, Escrava Isaura, Sexo, Tira, Tira II - McCoy is back.. enfim, parecia bom embora suspeito.

Afinal, convenhamos: eu era uma pessoa criada à base de filmes norte-americanos, minha mente não estava exatamente pra teatro. Mas aí minha irmã insistiu, disse que era muito engraçado, mas putz R$15,00???? Eu não tinha R$15,00 pra pagar numa meia entrada no Teatro dos Bancários (capacidade modesta: 474). Era muito caro para uma estagiária achar isso um investimento!! hahahahha ô arrependimento!

Tá, fui à minha primeira peça. Acho que foi Rumo ao planeta Boeing. Primeira tripulação totalmente brasileira indo ao planeta Boeing para fazer testes do plantio de bananas e tal.. Todos os fins de semana de um mês inteiro só com uma das peças. E sempre com piadinhas atuais, como metiam o pau no Roriz.. ah, bons tempos aqueles.. Foi TÃO engraçado! Eles interagiam com a platéia, corriam entre nós, que beleza! Na peça Sexo em que eles nos recepcionavam na porta de smoking, que toque bacana de contato com a platéia. As peças Tira e Tira II (pois afinal todo filme de ação barato tem continuação clichê) eu identificava muito com Máquina Mortífera e afins. Ria sem parar.

Enfim, ficaram famosos, ganharam o Brasil (leia-se: RJ/SP), acabaram indo pra Globo (Jô-Faustão-Fantástico), passaram a se apresentar em enormes salas, passaram a cobrar preços exorbitantes..

E eis que eles voltam ao quadradinho cobrando agora $25,00 a meia entrada!

Hein?

Exatamente. Eles se tornaram muito melhores por causa disso? Não. Agregaram patrocínios e valores externos que nem por isso elevaram substancialmente suas características internas. Agora só se apresentam no Teatro Nacional, centralizado e enorme (Sala Villa-Lobos: 1307 modestos lugares). O grupo simpático e humilde que existia fazendo peças de qualidade se foi. Agora é adaptar-se.

Aqui, um vídeo que mostra um pouco do grupo, na peça Hermanoteu na terra de Godah:

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Rubberband Man

Quando eu estava nos EUA me senti em casa quanto à tv. Tirando o fato de que a programação da NET estava louca, mas fora isso tudo igual.

Foi lançada uma vez uma campanha de uma papelaria chamada Office Max usando uma música antiga (de um grupo chamado The Spinners) chamada Rubberband Man. Viciei! A música era cativante, o ator que fez a série de comerciais era cativante, tudo ia no ritmo. Eu parava o que estava fazendo para ver, nem piscava.

O ator, claro, depois de maciça campanha, ficou famoso e passou a ter um espaço só dele no site. Febre total. Depois que todos já conheciam a introdução da música e os passos do ator (Eddie Steeples) de cor a campanha começou a veicular propagandas direcionadas: volta às aulas, férias, natal.. Sendo esta do natal feita em animação.


video



E a versão para o natal:



Depois desta ele acabou indo pro seriado My name is Earl fazendo outras produções.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Como importar/exportar o Favoritos no Firefox

Espero não ter de passar por isso novamente. Detesto quando monto um Favoritos bem simpático, sites que não quero ficar procurando, é como um filho. Vai crescendo, crescendo, vamos alimentando.. dá gosto de ver já desenvolvido! :)

Então, estrou trocando de computador, recebi um melhor que o meu da minha irmã. Estou neste momento transferindo (1Gb por vez) todo o meu patrimônio virtual de um ponto ao outro. Minha sorte/alegria é que um pc está do lado do outro. Assim que alguém ler este post pensará "Mas eu tenho um cabo usb, ela podia ter me pedido". Pedi o tal cabo (ou um de rede pequeno) porém ninguém tinha. Estou fazendo do jeito mais complicado então.

Caso é que para quebrar o galho de outras pessoas que não quiserem perder os tais favoritos devem proceder da seguinte forma:

- Abra o Firefox e vá até o 'Favoritos'.
- 'Organizar favoritos...'
- 'Importar e Backup' (na barra de ferramentas)
- 'Exportar HTML...'
- Escolha o destino do arquivo
- Envie por e-mail ou grave em algum lugar para transferir.

Para importar depois é só selecionar 'Importar HTML...' e localizar o tal arquivo. O tal arquivo salvo é uma página da Web. Se clicar nela ela abre como Sumário, é bem bacana também, outra forma de ver as pastas.

Isso sem contar o tal dum site onde a pessoa pode igualmente armazenar suas preferências de Favoritos e, se quiser, mostrar aos outros suas páginas favoritas. Chama-se Delicious e foi criado em 2003 nos EUA. Mas já estou em muitos lugares, se for para mais este daqui a pouco não lembro de mais nada.

sábado, 20 de dezembro de 2008

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Christmas Mode = OFF

Ou Divagações Natalinas (é uma coisa quando não consigo decidir por um título só :P)

Está difícil. Não entrei no clima natalino ainda. Pessoas que enfeitam casas; pessoas que tiram receitas de comilanças natalinas empoeiradas das gavetas já se preparando para cozinhá-las; pessoas que vestem a camisa do natal no melhor estilo "Jesus-quem? Meu negócio é Papai Noel"; pessoas que põem um sorriso natalino no rosto e tratam de tirá-lo dia 25/12, 23h; as cores vermelho e verde (e também dourado e prateado) espalhado em lojas e postes pela cidade; renas, chaminés, neve e muitas outras coisas que nunca fizeram parte do nosso contexto até algumas décadas atrás etc. Minha mãe costumava preparar a casa para a festa de natal por aqui, só que dáva muito trabalho e havia pouca ajuda de pessoal de apoio, acabou de deixamos de fazer. Pena.

Tenho inclusive conflitos festivos no geral. Ex: Devo gostar mais da minha mãe só porque foi determinado como um dia para as mães? Devo visitar os corpos de parentes e amigos no cemitério só porque há um dia para isso? Gostarei mais das crianças num determinado dia especial? Há dia específico para se dar ou receber um presente? Inclusive não gosto de dar presentes em datas pré-estabelecidas. Gosto de dá-los quando tenho o dinheiro e a vontade: "Putz, lembrei de você." ou "Sabia que você queria isso e como eu podia comprar, fiquei feliz em comprar pra você".

Inclusive: Esta data não é sobre o Papai Noel. Acabei de aprender um bocado sobre o tal velhinho aqui. Conta também que é lenda a parte que responsabiliza a Coca-cola de ter supostamente criado o personagem. Droga, era esta a versão que eu conhecia. O senhor de roupa vermelha e barba branquinha teria entre outras inspirações o São Nicolau de Mira (Turquia) e antigos costumes europeus. Caso é que do Jesus ninguém lembra, que nasceu, deu lição de moral pra tudo quanto era letrado da época, pregou por 3 curtos anos usando todas as oportunidades possíveis e que todos só se lembram, se importam e só usam no peito a marca de como ele morreu (e não de como ele viveu).

Entretanto esta é outra história, porque antigamente o símbolo/sinal de que a pessoa era Católica (ou até melhor: Cristã) era o peixe (símbolo da vida) e não a cruz (símbolo de sua morte). Mas enfim, falta reflexão geral sobre o tema.

Observação final sobre o tema do peixe. Fui caçar agora na net um pouco sobre o tal desenho do peixe (que inclusive acho muito mais light e simpático), encontrei aqui este texto:

Devido as constantes perseguições, e morte de muitos cristãos, essas pessoas necessitavam, de um símbolo que identificasse sua fé, sem coloca-los em perigo, criando assim O PEIXE, usando como um sinal secreto de fé. Este símbolo foi escolhido porque a palavra peixe em grego, é um acróstico ( são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou verso formam uma palavra ou frase ) que forma assim uma frase que é uma confissão de fé. O nome em grego ICHTHUS ou ICHTHYS. Iesus CHristus THeos Yios Soter, que em português que dizer: Jesus Cristo Deus Filho Salvador.

Iesus ****** Jesus
CHristus ****** Cristo
THeos ****** Deus
Yios ****** Filho
Soter ****** Salvador

Assim, para que um cristão identificasse um outro cristão, ele desenhava um arco na areia. Se a outra pessoa era cristã, desenhava o arco ao contrario, formando assim, o desenho de um peixe, assim sabendo então que os dois eram cristãos. Com o passar dos anos a figura de um peixe, associou-se ao Cristianismo.

Taí uma coisa que eu não sabia. :)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Sapato no Arbushto

Não foi uma bengalada (e aqui também), foi uma sapatada. Mas não foi dessa vez que um manifestante conseguiu acertar o presidente norte-americano Bush Jr.

Muntazer al-Zaidi, de 29 anos, jornalista que assistia a coletiva do presidente e estava indignado com a visita surpresa do dito cujo ao Iraque (novamente). Depois do ocorrido é que o serviço secreto local foi colocar as mãos no jornalista e ele foi detido. O interessante é que uma tv libanesa se ofereceu pra pagar a fiança E contratar o jornalista o mais rápido possível pois também é contra o presidente norte-americano. Esta matéria eu li aqui. Mas está em muitos outros lugares também. Como esta matéria do Globonews.



Tá, mas isso tudo vocês já sabem, mas o que podem NÃO saber é de um tal jogo lançado na internet (detalhe pra extensão .de alemã, heheheh vai entender).
Jogue você mesmo
sapatos no Bush AQUI. :)

Sinceramente fico de cara com o sentido aranha do velhinho. O primeiro sapato foi muito rápido. O pior foi o cara ter conseguido jogar o segundo sapato. Ah, mas isso não aconteceria se o Jack Bauer, o Frank Farmer/Kevin Costner ou a Sidney Bristow estivessem de guarda.

Moto pra que te quero

Hoje fui para uma consulta na Asa Sul. Até aí tudo bem. Eles tinham horário vago na hora do almoço. "Pode marcar pra hoje?" "pode". "Tem no horário do almoço?" "Tem sim, 12h, 12h30, 13h". Pensei com meus botões: "Minha mãe saiu mas daqui a pouco estará de volta (isso às 11h)". Falei "Pode ser às 12h....... e 30 mesmo".

Quando fui ver aqui já era 12h25 e saí correndo, ao olhar a garagem nada de carro. Putz, como eu iria chegar ali? Daria uns 5 min de carro. Pra quem conhece Brasília: eu na 707 sul, meu destino na 410 sul. Vi a moto, olhei pro céu, quase chuva. Pensei "Dá tempo". Ledo engano.

Estava eu de tênis, calça jeans e casaco. E assim fui em pista molhada e começou a chover fraquinho e eu pensando "Caaaaaalma, faz esta curva com caaaaaalma. Eaaaaaasy easy easy easy easy!" hahahah Por sim, penso ou falo comigo mesma em inglês também, hehehhe.

Fiz um senhor atalho por traz da entrequadra pra estacionar mais pra parte coberta e fugir da chuva/curvas mais rápido. Como vi um segurança com direito a colete identificado e tudo, acabei deixando no cantinho da primeira vaga mesmo, para receber mais atenção (e consequentemente, mais chuva também).

Fui lá, pá e tal. Tranqüilo. E na hora de voltar? Chego na moto, chuva um pouco menos rala e meu banco bem molhado. Maldição. Comecei a considerar "e agora?" e fui puxar papo (confabular) com o segurança que táva ali do lado achando um barato ver uma moça numa moto (todos fazem uma cara parecida). E ele disse "sabe, taí algo que eu nunca teria: uma moto!" Retruquei com os velhos e bons argumentos "que nada, Brasília é 6 meses de sol e 6 meses de chuva. É só usar mais no sol" :D hehehe Aí ele indicou pra que eu fosse logo (já que era perto também) porque esta chuva não era nada perto de outras que temos por aqui (o que é verdade). Considerei, considerei, considerei.. Mato sem cachorro total.

Como boa moça prevenida que sou saquei de minha bolsa meu pacotinho de Kleenex e dele duas folhas de papel e fui secar a parte que interessava do banco da moto. Aí foi começar minha aventura de volta: rezando e falando "caaaaaaalma nas curvas" e frases motivacionais para momentos de aperto como este.

Cheguei em casa salva. Sã? Deixa pra lá.. Mas orgulhosa do feito. Olha que eu me animo mais a sair só em fins de semana e com sol! Chuva só é boa mesmo pra fazer barulho pela janela enquanto bebemos algo quente e vemos algum programa agradável. Ou como diria o Fernando (um dos meus roommates dos EUA em Chicago): Um bom vinho, com uma boa companhia, uma boa comida..

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Jacaré Iemanjá (jáa)

Ultimamente poucas coisas me fizeram rir como este vídeo que acabei de ver. Quase não acreditei. Pensei "terei de postar no blog".

Como diz as informações no Youtube

"Créditos para o grupo: Olaria GB(GrandesBosta)"

video
Axé Music: Nada como ridicularizar nossa própria cultura, nos nivelando por baixo. Esta crítica no vídeo é muito boa.

E pra quem achar que o vídeo é apelação, reflita sobre as músicas a que o vídeo se refere e lembre-se se você também já não dançou e repetiu os passinhos pelo menos uma vez também!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Plumeria Rubra



  • Nome Científico: Plumeria rubra
  • Sinonímia: Plumeria aurantia
  • Nome Popular: Jasmim-manga, frangipane, árvore-pagode, plumélia, jasmim-de-são-josé, jasmim-do-pará, jasmim-de-caiena
  • Família: Apocynaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: América Tropical
  • Ciclo de Vida: Perene

Esta é uma das flores que mais gosto
É tão delicada, perfumada, encantadora
Nasce de uma árvore grande - e não arbusto modesto
De tronco firme

Em sua extremidade, sua expressão máxima
Parece que é com sinceridade que oferece
O que tem de melhor em si

Brota o que há de melhor em mim
Quando nos vemos

sábado, 13 de dezembro de 2008

Dia de Santa Luzia

Hoje é o aniversário da minha mãe: a (santa) Luzia. (ou Aquela que traz a luz)

Eis que a história diz o seguinte: a pobre da Luzia (ou Lúcia) vivia em Siracusa (Itália) e era de família rica. Como era cristã fervorosa (dessas que não se faz mais hoje em dia) prometeu a seu Deus único a virgindade eterna (sabe, como forma de dedicação somente a ele, esquecendo os prazeres do corpo. Até faz sentido). Aí o pai dela morre e a mãe quis casá-la com um moço pagão.

Por coincidência a mãe fica bem adoecida e a Luzia que era devota de outra santa leva a mãe à tumba dessa tal santa. A mãe se cura e se convence de que é melhor a filha continuar pura mesmo (até aí tudo bem) e distribuir o seu dote para os pobres. Aaaaí não, aí o cara pagão (ou dito pagão) ficou todo mordido. Denunciou ela como cristã (imagine, houve um dia em que o Cristianismo era a excessão) e entregou ela pro pró cônsul (governador romano) que ameaçou jogá-la num prostíbulo. Ela, claro, com muita classe e finesse responde "O corpo se contamina se a alma consente". Um bocado de soldados então com ordem de levá-la não conseguem tirá-la de lá porque o corpo está muito pesado. Ponto pra ela.

Aí enquanto presa fizeram a sacanagem de arrancar os olhos dela (conta a minha mãe que leu uma versão que dizia que foi porque os olhos dela eram muito bonitos e o pagão ficava elogiando demais ao que ela teria respondido "quer meus olhos? quer? quer? então toma!", agora como ela teria feito isso são outros 500). No outro dia, olhos de novo em sua face rósea e virginal. Daí que se diz atribuírem a ligação dela com os olhos e a visão (será que clareza de visão ao ver que o Cristianismo era mais jogo do que o paganismo também?). Ponto pra ela. Aí como não deu certo eles quiseram que ela venerasse os deuses pagãos deles fazendo sacrifícios ou negando sua fé e deixando sua castidade de lado, mas como ela não colaborava fizeram uso doutro método mais eficiente: decaptação. Aí ela disse "oxi, e eu lá me importo com isso? Tenho fé no meu Deus e prefiro a morte a abandoná-lo." E ficou por isso mesmo. Ponto pro cara (ou assim ele pensou) e ponto pro Cristianismo.

Um papa (Gregório Magno) uns 200 anos depois validou o túmulo dela escrevendo uma inscrição em grego. Lá pra 1894 este martírio da jovem foi confirmado quando encontraram o tal sepulcro com as inscrições.



Em Araçatuba inclusive há um bairro e uma capela com o nome da santa e milagres atribuídos a ela. E pode ser conferido com mais detalhes aqui.

Em Salvador também há missas e tal, como pode ser lido aqui.

O interessante é as pessoas quererem tanta lavação de olhos e milagres físicos ao invés de pedir iluminação de pensamentos e atitudes ou mesmo renovação da fé cristã (pela luz do conhecimento), mas enfim. Melhor alguma fé do que nenhuma. Ou, melhor uma atitude boa do que uma má. Já diria Jesus: se teus olhos são motivo de escândalo, é melhor não tê-los. Mesmo simbolicamente falando, é melhor fechar os olhos pra certas coisas.


--
Oração à Santa Luzia

Ó, Santa Luzia, que preferistes deixar que os vossos olhos fossem vazados e arrancados antes de negar a fé e conspurcar vossa alma; e Deus, com um milagre extraordinário, vos devolveu outros dois olhos sãos e perfeitos para recompensar vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos, eu recorro a vós para que protejais minhas vistas e cureis a doença dos meus olhos.

Ó, Santa Luzia, conservai a luz dos meus olhos para que eu possa ver as belezas da criação. Conservai também os olhos de minha alma, a fé, pela qual posso conhecer o meu Deus, compreender os seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós, Santa Luzia, vos encontrais, em companhia dos anjos e santuário.

Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. Amém.

Canção do Tamoio

Gonçalvez Dias

Nascido no Maranhão em 1823 e morto num naufrágio na costa brasileira em 1864, letrado no Brasil e doutorado na Europa (claro, pra que fazer boas universidades no Brasil, né?). Cria a Canção do Exílio ("Minha terra tem palmeiras..") em 1843 e a Canção do Tamoio (esta em questão) em 1847 (salvo engano, pois as fontes da internet estão tristes..) dentro da publicação Primeiros Cantos. Eis que a história seria a de um pai contando pro seu filho recém-nascido(!?) como é a batalha e porque ele não deveria estar tão ansioso de ir pra uma. Ei-la:

I

Não chores, meu filho;
Não chores, que a vida
É luta renhida: (É uma batalha)
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos
Só pode exaltar.

II

Um dia vivemos!
O homem que é forte
Não teme da morte;
Só teme fugir;
No arco que entesa (enrijece)
Tem certa uma presa,
Quer seja tapuia, (índios mestiços)
Condor ou tapir. (anta)

III

O forte, o cobarde
Seus feitos inveja
De o ver na peleja (briga)
Garboso e feroz; (elegante)
E os tímidos velhos
Nos graves concelhos,
Curvadas as frontes,
Escutam-lhe a voz!

IV

Domina, se vive;
Se morre, descansa
Dos seus na lembrança,
Na voz do porvir.
Não cures da vida!
Sê bravo, sê forte!
Não fujas da morte,
Que a morte há de vir!

V

E pois que és meu filho,
Meus brios reveste; (minhas qualidades)
Tamoio nasceste,
Valente serás.
Sê duro guerreiro,
Robusto, fragueiro, (forte, duro)
Brasão dos tamoios
Na guerra e na paz.

VI

Teu grito de guerra
Retumbe aos ouvidos
D'imigos transidos (assombrados)
Por vil comoção; (tola)
E tremam d'ouvi-lo
Pior que o sibilo
Das setas ligeiras,
Pior que o trovão.

VII

E a mão nessas tabas, (aldeias)
Querendo calados
Os filhos criados
Na lei do terror;
Teu nome lhes diga,
Que a gente inimiga
Talvez não escute
Sem pranto, sem dor!

VIII

Porém se a fortuna,
Traindo teus passos,
Te arroja nos laços (lança)
Do inimigo falaz! (ilusório)
Na última hora
Teus feitos memora,
Tranqüilo nos gestos,
Impávido, audaz. (audacioso)

IX

E cai como o tronco
Do raio tocado,
Partido, rojado
Por larga extensão;
Assim morre o forte!
No passo da morte
Triunfa, conquista
Mais alto brasão.

X

As armas ensaia,
Penetra na vida:
Pesada ou querida,
Viver é lutar.
Se o duro combate
Os fracos abate,
Aos fortes, aos bravos,
Só pode exaltar.

Traduções com auxílio do dicionário Priberam, para o caso de mais gente ter dificuldade de entender também. :)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Betty, a bela



Fiquei sabendo aqui que Bettie Page morreu hoje em Los Angeles, CA.

Lendária pin up dos anos 1940 nos EUA ela definiu conceitos de beleza e atitudes das mulheres mundo afora. Sem saber, imagino. Interessante que li e pensei "puxa, será que verei fotos legítimas de pin ups no Google?" e sim, vi.

O mais interessante é que as poses, as caras e bocas, as roupas (tirando as mais óbvias dos anos 40/50) como por exemplo a de diabrete, o estilo.. tudo foi feito provavelmente primeiro por ela antes que outras fizessem, e assim como a também sensual Marilyn Monroe a Betty também agia no melhor estilo 'espírito livre'. Este estilo é repetido até hoje quando as norte americanas (principalmente) querem fazer pose de gostosas e precisam de referências.

Suas fotos contrastam com seu passado pobre e violento e a necessidade de amadurecer cedo.


Interessante também como dois casamentos depois, fotos na Playboy, processos judiciais a vida dela mudou tanto.

Conta-se que depois do segundo casamento ela fechou-se pro mundo tornando-se fervorosa religiosa. O que ela quis com isso não sei.

Não creio que ela se arrependeu de ter agido como agiu, sendo genuína em suas atitudes. O segundo marido dela deve ter sentido o dever de 'consertá-la' como muitos fazem (ou tentam) fazer com suas companhias.

Achei ótimo este pôster aqui, o título e tudo. Só que é bem engraçado ver como se segurava a barriga antigamente e isso era tido como bonito.

Enfim, ontem foi o Christopher Reeve, hoje foi a Bettie Page (toda hora quero dizer Bettie Davis).. onde este mundo vai parar? Assim não dá!

Vestidos e o vento.

A palavra insinuar vem de vestido. Nada afirma, insinua. O vento no vestido investiga. Vestidos voltam no tempo. Vestido, volta, saia rodada. Vento. Vestidos dão asas à imaginação. São eles as asas. Vento por baixo da saia do vestido. Vestidos mudam de forma, revelando, não as formas, gordas ou magras, mulheres. Vestidos deixam respirar. Insinuam sinuosas curvas, perigo adiante. Suspiros. Vestidos vestem despindo. Em um vestido me visto de vento.

-------
Poesia da Cris Guerra do Hoje vou assim. Achei tão bonito!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Realidades (Ou Coisas que deveriam ter ficado só na ficção)

Tenho conversado com um amigo que mora em São Paulo e hoje vi uma matéria que me fez lembrar de um exercício que fazia, que é o de ver-se ou ver as coisas comuns com um olhar distante ou um olhar não habituado com as coisas. Exemplo: quando uma criança vê uma roda gigante, por exemplo. Para nós é habitual, é comum, mesmo sendo algo fantástico da inteligência humana ter concebido tal coisa.

É este espanto que nos habituamos a perder (e inclusive se faz presente em alguns e-mails motivadores que recebemos falando para não nos habituarmos a não nos encantarmos mais com as coisas simples da vida) porém coisas fantásticas ocorrem todos os dias.

Estes papos com o amigo e minhas explicações de como é a Capital Federal me fizeram relembrar como ela se formou e como está hoje (como diz a matéria do Niemeyer que está em Brasília e pode ser lida aqui) e algo que, confesso, não me espantou muito.. uma menina de 16 anos de idade, morena, com um bebê de 11 meses no colo, loirinho, que ela afirma ter sido fruto de encontro dela com um estrangeiro em um hotel caro, feio e pomposo no centro da Capital. Esta matéria pode ser lida aqui.

É interessante não se espantar com este tipo de informação. Talvez por não ter visto o olhar não mais inocente de uma menina de 16 anos, talvez por este tipo de informação se repetir dia após dia nos tais jornais vistos e lidos todos os dias. É tanta informação que ela acaba por perder a importância e nós nos perdermos entre tantos sentimentos de esperança e desilusão.

Se é a esperança o que nos move todos os dias
Eu que tenho dias de esperança e dias sem esperança
Alguns dias vivo, alguns dias passam em branco

Se necessário for para retomar as forças
Fechar os olhos e ouvidos para o mundo
Pois que se ficarem abertos por muito tempo
Até mesmo a esperança que temos
É de nós sugada aos poucos

É o fim do mundo
É o fim de nós mesmos
É sendo então egoístas
Que nos tornamos generosos

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

2009

Estava conversando com uma amiga outro dia (ontem?), 2008 foi um ano bem complicado pra mim. Eu até comecei trabalhando, aí turbulências pelo caminho resolvi só estudar pra concursos por uns tempos. Isso também não funcionou tão bem, aí resolvi aliar os dois, funcionou mais ou menos.

Há algo com 2008 que por algum motivo não esteve muito acertado comigo, mas há algo sobre 2009 (que também não sei explicar) que dá a impressão que dará mais certo.

E assim espero 2009, com esperança. E alguma expectativa também.

Fernando Pessoa

Eis uma das poesias que mais gosto

Liberdade
(Interpretado na voz (de português de Portugal) de João Villaret)

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Papel em branco

Terrível. De repente uma vontade voltou a me invadir, vontade de escrever. Só que escrever o que?

Nos tempos idos que comecei um blog (ou dois) eu também tinha uma vontade de escrever. Sempre tive. Só que tenho perdido as palavras, como quem perde o sono. Mas vontade adormecida acordou novamente. Tenho acompanhado blogs muito interessantes (de amigos ou de desconhecidos). Muito mais conteúdo do que no meu primeiro contato com a coisa.

Vou tentar começar do simples, das coisas que eu gosto. E vamos ver como a coisa evolui.

Sejam bem vindos.