quarta-feira, 29 de abril de 2009

OIT 90 anos

Fui convidada a participar da cerimônia de comemoração dos 90 anos da OIT (ILO) com direito a coquetel. A OIT foi fundada em 1919 (entre uma guerra e outra) baseada nas assinaturas de países com o compromisso de melhorar as condições de trabalho (como o Brasil, já no primeiro evento). Inclusive, como mencionou a atual diretora do escritório do Brasil: a primeira convenção foi a que estipulou o trabalho com o tempo de 8h/dia.

Foi bem bacana. Revi diversas pessoas das antigas de quando estagiei por lá, gostei muito do pouco tempo que passei estagiando, parece até que passou mais tempo do que os poucos 4 meses. Revi a chefa, Josélia, elétrica como sempre. Fiquei sabendo de novidades aqui e ali do pessoal, que beleza. :)

Já quase no final inauguraram esta obra de arte no centro do escritório com pessoinhas em metal. Foto do celular (versão 'photoshop free'). Diversas pessoas (representantes do governo, dos empregadores e empregados - a chamada gestão tripartite do trabalho) falaram e falaram sobre o evento.



Para o público: canapés, pró seco e vinho tinto seco também. Polícia lá fora para garantir a segurança. Das pessoas mais importantes, claro.

Mais sobre os eventos da OIT pelo mundo aqui.

domingo, 26 de abril de 2009

Câmara dos Deputados usa bom guarda-chuva

"Uma chuva de críticas, via e-mail, chega à Câmara todos os dias"

Trecho da matéria (de ontem, do Correioweb): "A Ouvidoria recebeu 1.443 mensagens entre 1º e 23 de abril. Com pouco mais de 13% , ou 188 mensagens, a farra das passagens dominou os temas. Como as reclamações são diversas, e num mês o órgão chega a receber mensagens sobre até 100 temas, esse número é bastante expressivo."

Eis o outro pessoal que nos racha a cara de vergonha.

São tantas as reclamações que eles devem ver realmente somente como números e não como legítimas reclamações únicas de cidadãos preocupados.

Para quem quiser se comunicar com a Câmara, eis os contatos:

tel: 0800 619 619
e-mail: ouvidoria@camara.gov.br
site: www2.camara.gov.br/conheca/ouvidoria
end:
"Ouvidoria muda de endereço

A ouvidoria Parlamentar está funcionando em novo endereço, na Câmara dos Deputados.
O atendimento agora é na sala T-40, do anexo II, próximo ao plenário 10 das comissões, no térreo do prédio.
Com mais espaço que na antiga sala 121-B, a Ouvidoria tem condições de oferecer mais conforto e comodidade ao cidaddão que procurar o setor pessoalmente.
Vale lembrar que os números dos telefones continuam os mesmos: 318 8962/63/64/65."

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Presidente paraguaio pede perdão por seus erros pessoais

Leiam mais aqui.

O senhor presidente do Paraguai, nosso vizinho Fernando Lugo, é um fanfarrão de marca maior.

Enquanto era BISPO da IGREJA CATÓLICA se engraçou (no sentido bíblico) com supostamente diversas mulheres (e pelo menos esta parte da indicação da Igreja ele cumpriu: não deve ter usado camisinha).

A Igreja tem tido muito trabalho com diversas controvérsias envolvendo pedofilia pelo mundo (inclusive diminuindo o número de adeptos nos EUA e em outros países escolarizados por aí) e confesso que na primeira vez que ouvi falar que o presidente era um bispo.. eu jurava que era protestante, pois pelo menos a parte do casamento/sexo é liberado para eles. Mas até eu saber que o dito cujo era um padre! Aí que fui entender que o buraco era mais embaixo.

A parte que me irritou no artigo que li foi que ele pede 'perdão' para os seus 'erros pessoais'. Se o dito quisesse perdão mesmo não teria esperado a mídia ficar sabendo. E estas moças também, hein. Nenhuma colocou-o na justiça pra exigir teste de paternidade? Lá não tem dessas coisas não? Perdão por perdão o Arruda (e ACM) também pediu perdão por ter violado o sigilo do painel da Câmara também.

Ou seja, o pedido não é motivado pela extrema vergonha de ter feito um ato deplorável, mas de ter sido descoberto!

E ISSO é uma vergonha.

Agoooooooora, se isso é verdade ou não: Acabem logo com isso e façam exames de DNA.

Meu sonho de consumo continua sendo que nenhum político que tenha cometido algum crime* possa continuar representando seus compatriotas. Outro exemplo besta pra ilustrar: o pai do Collor (aquele Collor), o senador Arnon de Mello, queria MATAR um desafeto (Góes Monteiro DENTRO do Senado, mas o tiro matou um outro senador (Silvestre Kairala, em 1963) que não tinha NADA com isso. Algo aconteceu com ele? Não.

* Fico devendo a matéria de capa que vi sobre a porcentagem de políticos corruptos que temos atuando nos nossos poderes. Lembrando que eles não são todos de Brasília e por isso não carregamos a responsabilidade (sozinhos) pelos tais, mas eles são a nata, a gordura, o excesso, o que melhor pudemos fazer pela política do nosso país até hoje. São pessoas como nós, e que com um pouquinho de poder nas mãos fazem um estrago enorme (exemplo disso: um funcionário de serviço público qualquer, que é o reizinho do lugar e costuma fazer e acontecer com os usuários). Pra mim isso é falta de filosofia, ética, moral (e cívica) nas escolas. Depois as pessoas ficam sentindo inveja do amor que os estadunidenses sentem pela bandeira/país.

P.S.: Isso que dá eu não escrever logo, fico juntando os assuntos, aí depois vão todos de uma vez.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Calvin & Haroldo



:D

muito bom!

P.S.: Tenho procurado umas duas tirinhas do Calvin que eu adorei mas até hoje não localizei. Um dia, quem sabe.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Dicionário Palhaço (HTP)

Dicionário muito engraçado compilado, editado, organizado pela Nara, que colabora no blog Homem é Tudo Palhaço, criado pela Roberta.

Alguns verbetes:

Palhaço Auto-Estima - Esse eu até admiro. Porque muitas vezes o bruto é feio, tem barriga, cara de nerd, corpo caído, enfim, sex-appeal zero. Mas é capaz de olhar para você e mandar na lata: "olha.. você tá meio gordinha, né?" ou "olha... que tal pegar um sol.. você tá meio pálida". É uma variação do Palhaço Pinóquio.

Palhaço Discovery Channel - É uma versão mais sofisticada do Palhaço Rádio Relógio. Ele não puxa papos bizarros, mas procura sempre uma explicação "científica" para tudo. Algo do tipo.. "Vi num documentário que os esquimós comem gordura para... blá, blá, blá". São chatos mesmo.

Palhaço Flanelinha - Ao invés de transar contigo decentemente, fica repetindo.. "faz isso, faz aquilo, põe a perna aqui, põe o braço aqui... ". É preciso paciência.

Palhaço IBGE - É um palhaço muito comum em salas de bate-papo e ICQ. Suas três primeiras perguntas invariavelmente são: "De onde você tecla?".. "Como você é?"... "Você tem foto?"...

Palhaço INSS - Ele conta as palhaçadas por "tempo de serviço". Geralmente são os palhaços mais velhos, que se gabam de serem mais experientes, e portanto, mais vividos e mais palhaços que os outros.

Palhaço Mestre-Cuca Sua arte é te cozinhar.. ele te deixa em banho-maria, coloca molho, refoga, assa, frita, mas comer que é bom.. nada!

Mais aqui. (No arquivo buscar por Janeiro 2008).

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Curso em Brasília ensina homens a cortejar

Eu sabia que havia algo de errado nesta história!! Era ISSO!

Repasso:


"Acredite, conquistar alguém parece mais difícil do que se imagina. De acordo com pesquisa realizada pela Ipsos/Marplan/EGM, Brasília é a segunda colocada em quantidade de solteiros, com 41% da população.
Para ajudar diminuir esses índices, um workshop voltado para os homens quer ensinar os segredos da atração. De acordo com os organizadores, o curso foi especialmente pensado para ajudar aqueles que não são muito hábeis na arte de cortejar uma mulher.
Na programação, os alunos vão aprender técnicas e táticas para conseguir atrair a atenção das mulheres e abordá-las de forma gentil. Para os interessados, vai o alerta dos organizadores: o curso não repassa apenas dicas sobre paquera, mas também desenvolve o lado social por meio do contato com o público masculino. A estratégia é quebrar barreiras como a timidez e a insegurança.
O investimento é de R$ 450 e as aulas vão de sexta (17) a domingo (19/4). Se você está interessado ou conhece alguém que precisa fazer esse workshop, se inscreva no site: www.seductionlife.com.br.
Ranking dos solteiros
A pesquisa da Ipsos/Marplan/EGM, realizada entre abril de 2007 e março de 2008, aponta que Salvador é a capital brasileira com o maior índice de solteiros. Ao todo, 45% da população acima dos 18 anos está desimpedida. Dos 2.149 entrevistados, 975 afirmaram estar solteiros, sendo 53% mulheres e 47% homens. Brasília aparece em segundo lugar, 41% de solteiros (51% homens e 49% mulheres), seguida por Belo Horizonte, com 40% (52% homens e 48% mulheres) e Fortaleza, com 38% (49% homens e 51% mulheres)."

É aquele negócio, em diversos lugares (e por diversas meninas) já foi visto que não se conversa mais, troca uma ideia, vê o que a pessoa tem pra acrescentar à vida dela: o negócio é ficar ali na hora, sem conteúdo, sem acrescentar em nada e em troca de um prazerzinho imediato. Quando seria muito melhor uma troca de ideias, outros encontros pra ir descobrindo o que existe além do interesse da ficada. Os solteiros querem continuar solteiros e não entendem depois porque se sentem vazios e infelizes. E não é por falta de amigos.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Ultralafa


Ultralafa, do Jacaré Banguela. Infelizmente não lembro quando copiei este cartoon aí, mas acho que foi mês passado. Originalmente o cara que escreve é este aqui: o tal do Ultralafa.

Esta é pra Vendetta e Charlotte. :P

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Passageiro pousa avião

E depois me perguntam porque gosto tanto de ver filmes!! É por ISSO!


13/04/2009 - 11h52

Passageiro pousa avião após morte do piloto em pleno voo

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
Um passageiro conseguiu pousar um avião bimotor e salvar a vida de cinco pessoas, no Aeroporto Internacional do Sudoeste da Flórida (EUA), após perceber que o piloto havia morrido.

Segundo informações da Federal Aviation Administration (FAA, a entidade governamental que regula a aviação civil norte-americana), o piloto morreu logo após a decolagem, no aeroporto Marco Island Executive, no domingo (12). O avião deveria seguir para Jackson, no Mississippi.

O passageiro que assumiu o voo tinha licença para pilotar monomotores havia 20 anos, mas não tinha certificação para comandar um King Air, modelo bimotor de luxo.

Para conseguir manter o controle do avião, um controlador de tráfego aéreo ligou para um amigo em Connecticut que instruiu o passageiro. Em cerca de 20 minutos, o bimotor pousou em segurança.


----

Tá, tá, não é a mesma coisa. Mas é por isso que presto bastante atenção quando nos filmes pilotam aviões, lanchas, montam cavalos, camelos, avestruz (num filme daquele besta australiano, sem ser o Dundee), nas horas de hipnotizar um touro (agora sim no filme do Dundee), ou utilizar armamentos pesados dos mais diversos tipos.

Como aprendi a ler

Por Jana

Aprendi a ler como todo mundo, indo pra escolinha, lendo livros de figuras e completando letras pontilhadas no papel.

Mas aprender a gostar de ler é outra história, tive o prazer de encontrar vários bons autores na vida, e como quase todo mundo da minha geração e que gosta de ler comecei com a Turma da Mônica, depois passei para livros infantis como o Pequeno Príncipe, a coleção Serelepe e Sapeca que tem partes muito tristes (um irmão Serelepe quebra a perna no volume O natal dos serelepes), um outro do bicho da maça, entre vários.

Assinei a nova revista da Mônica mangá, e ainda estou meio com pé atrás. Os desenhos estão ótimos, tem estética mangá e estilo da Turma, mas os diálogos... aff... tô penando um pouco com o romantismo forçado da Mônica e do Cebolinha. Já o Cascão e a Magali ficaram perfeitos. E o interessante é que a maioria dos adolescentes estão falando daquele jeito mesmo.

Passeando pelo Jovem Nerd, encontrei essa entrevista com Pedro Bandeira, escritor da série Os Karas e reparei que não li o último livro! Alguém tem pra me emprestar?

A série dos Karas começou com a Droga da Obediência, Pântano de Sangue, Anjo da Morte, Droga do Amor e parou em Droga de Americana.
Dizem que saiu um Droga Virtual que foi recolhido das livrarias para ser reescrito (claro, ele publicou uma coisa que não achou legal e mexeu toda a logística das livrarias pra recolher reescrever. Sei... só eu que não acreditei?) e agora ele esta escrevendo a primeira aventura dos Karas, quando eles se conheceram (antes de Droga da Obediência)
Poxa... num lembro mais o código vermelho dos Karas. :( Ele foi um dos autores favoritos durante meu período infanto-juvenil.

Tem vários outros livros que eu adorava (a maioria eu dei), mas hoje em dia sinto mó saudade deles. Mas se sair esse novo livro, eu compro só pelo gosto de reencontrar os Karas (e pensar que a coleção começou no ano que eu nasci).

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Kali e seu texto sobre a redução do trabalho

Foto reproduzida do mesmo post.

Como 'prometido' ao blogueiro Kali, comento hoje que li, adorei e recomendo a leitura do texto dele chamado A jornada humana pelo tempo livre no seu Blog Kálido.

Lembrei do texto outro dia quando estava conversando com um casal amigo. A moça reclamava indignada do porquê existirem tantos ricos não trabalhando e tantos pobres não trabalhando e tanto trabalho precisando ser feito, em completa desarmonia (ok, não nestes termos, mas a ideia é essa). Sugeri a ideia do Kali de que deveríamos ter turnos curtos de trabalho, onde você entra, trabalha um pouquinho e no resto do tempo faz outras atividades. Porque, claro, não defendo o ócio absoluto e estúpido. Há muita muita muita coisa nesta Terra para nós aprendermos, como fotografia, teatro, aeromodelismo, surf, filosofia, rappel.. e pensar que nunca iremos aprender certas coisas nesta vida, hein! Em boa parte porque gastamos muito tempo trabalhando e não usufruindo das coisas. Como os primeiros operários europeus da Revolução Industrial que trabalhavam 20, 18h/dia. Lembro de um texto lido na universidade sobre as primeiras leis contra a exploração do trabalho infantil, dizendo que crianças abaixo de 8 anos não deveriam trabalhar mais do que 12h/dia (ou algo exdrúxulo assim). Porque se foi necessário fazer tal lei é porque existia e muito.

Galpões sem janelas, sem qualquer ventilação, sem proteção para trabalhar com as máquinas pesadas.. e em troca de que eles trabalhavam? Em troca de míseras moedas para poder consumir os produtos que alguma outra fábrica produzia assim eles continuaram o ciclo vicioso. Se as máquinas foram feitas para produzir em larga escala e nos poupar tempo para fazermos as coisas que não podíamos antes.. por porque continuar gastando tanto tempo trabalhando se a vida moderna já nos dá o retorno muito mais rápido? Inclusive uma das melhores cargas horárias que já vi para trabalhar, e que existe de fato hoje em dia, são as de 6h. Você coloca duas pessoas para trabalhar, em turnos diferentes, possibilita à pessoa usar a outra metade do dia dela com outras atividades, não tira 10h do dia (8h + 2h de almoço, fora tempo de deslocamento) destas pessoas e elas conseguem produzir a mesma coisa em 6h que produziriam nas 8h.

Imagino que o medo do governo pudesse ser "e o que este tanto de gente fará no resto do tempo livre se já com 8h fazem tanta besteira?". Imagino uma solução simples, que surgiu na minha cabeça agora, de a pessoa assinar um termo de compromisso de trocar as 8h/dia por 6h + curso de qualquer coisa. Com convênios com o governo ou coisa parecida. Resolve dois problemas. Lembrei de uma frase agora mas não lembro a autoria, que é mais ou menos assim: deveríamos acrescentar mais vida aos anos e não o contrário. Por que afinal, pra que viver por tanto tempo se não podemos tirar proveito disso? Só aproveitar a vida quando não tivermos mais forças?

Enfim, falta reflexão geral. E quanto mais a gente pensar a respeito, refletir e discutir melhor.

Boa leitura do texto do Kali.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Salada de frutas

Estava eu a confabular com minha colaboradora Jana, hoje, acerca de frutas. Em um site de drinks apareceu uma fruta que eu não estava familiarizada: pomegranate. E eu pensando (e perguntando pra Jana) "o que diabos é isso?", vou até o Mr. Wiki e pergunto-o. Olho a fruta, olho, olho.. penso "é, acho que nunca vi mais gorda, nem nunca bebi nada com ela". Eis que tenho a boa idéia de mudar o Wiki para português e eis que torna-se claro como o dia: A bendita é nada mais, nada menos que uma Romã. Ora bolas!

Realmente, aí que a dúvida se instalou mesmo: "será que nos EUA, em algum momento num drink desses da vida, eu bebi/experimentei algo com xarope de romã no meio?". A dúvida, claro, ficará perdida sob o espesso véu da minha memória.

Indo pelo mesmo raciocínio lembrei que, das vezes que já comi romã (inclusive tínhamos um pé de romã ou romãnzeira no jardim da antiga casa), a tal nunca teve muito gosto e as sementinhas/frutinhas são foram duras e inconvenientes.

Por isso resolvi montar uma classificação aqui das frutas com melhor custo-benefício que conheço:

Top - Custo-benefício compensa 100%


Açaí: Típica fruta que só conheço pronta. É só pedir e receber uma ótima refeição

Ameixa: Fácil identificar quando está madura.

Banana: Fácil identificar também, só abrir e comer.

Cereja: Prefiro em conserva. Caro pra comprar, mas o retorno é garantido

Mamão: Fácil identificar quando está boa. Versátil para sucos e vitaminas, doce, ótima.

Manga: ADORO! No mercado ela cheira de longe, uma de minhas frutas preferidas. Adoro manga rosa enorme, casca fininha, vou fazendo aquela tirinha interminável e depois é só cortar. Hmmmmm. :)

Morango: Cada vez mais fácil e barato encontrar na cidade (principalmente quando na estação).

Pêra: Adoro pêra. Doce, granulada. Fácil de ver quando está boa e é só lavar.

Pêssego: Esta é parente da ameixa pra mim. Parecem primas, heheh. Andam sempre juntas e eu adoro o sabor também. Fácil de ver quando madura, outra que é só lavar e pronto.

Pinha: Custo-benefício compensa aqui também. Dá um pouco de trabalho, mas estando madurinha, compensa.

Tangerina: Ótima também, fácil reconhecer se está boa ou passada, o cheiro do óleo natural exala por todas as proximidades, sabor cítrico. Vale o esforçoa.

Uva: Uma das mais fáceis também. Depois de lavar está pronta pra consumo. Prefiro as roxas. :) Mas tenho aprendido a comer da verde também.


Marromeno - Estas requerem grau médio para preparo

Abacate: Nível fácil se só abrir e jogar açúcar pra comer de colher, mas para vitaminas é necessário uso de liquidificador.

Abacaxi: Tenho certa dificuldade de reconhecer um abacaxi maduro (devo puxar a folha de dentro pra saber se está no ponto?), porém o sabor faz a fruta compensar. Bem madura e amarelinha é perfeita. :) Abacaxi pérola sendo a melhor que comi. De preferência na beira da estrada, hehehe. Nada melhor pra refrescar e alimentar.

Acerola: Geralmente comprada aos montes e estocada no freezer para consumo a longo prazo. Necessita liquidificador e doses certeiras de açúcar. Mas ainda compensa o esforço.

Amora: Esta é necessário subir no pé de amora para colher. Isso porque os galhos mais baixos já são comidos logo, então se a pessoa quiser muito deve escalar a árvore (geralmente só encontro novas em Brasília, logo com galhos finos). Mesmo assim o sabor da berry compensa o esforço. :)

Caju: Este tive dificuldade de classificar. Geralmente encontro em garrafa de suco concentrado, mas a fruta em si dá trabalho com aquela carninha dela e além de precisar de doses certeiras de açúcar. O resultado, no entanto, compensa o esforço. Muito refrescante.

Caqui: Não me entendo mais com o caqui. Ou encontro verde ou muito maduro! Quando muito maduro perde a consistência, dá mais trabalho que tudo pra comer. O sabor ainda compensa.

Castanha do Pará: Esta só não foi pro fim da fila porque adoro o sabor. Dá muito trabalho pra abrir com o abridor, mas depois compensa muito.

Laranja: Não tão fácil quanto a prima mexerica, mesmo assim muito versátil e gostosa. Boa pra sucos/vitaminas também.

Lichia: Esta só conheci a poucos anos, dá um bom trabalho pra abrir com a unha sem cortar a membrana, mas o retorno (quando madura) compensa o esforço.

Limão: Só não ficou na última lista porque é muito gostoso com gelo e açúcar. A fruta mais refrescante, exige uso de liquidificador para preparar a limonada suíça que eu adoro!

Maracujá: Uso de faca, açúcar (para comer puro) e liquidificador. Sonífero natural (bendita passiflora), compensa o esforço.

Noz: Outra castanha que dá trabalho, mas o sabor único e formato de cérebro compensam, é um fruto simpático.

Tomate: Fruta contraditória com crises de identidade. Ótima com sal, muito difícil de eu encontrar uma no ponto mas quando encontro compensa também.



Terríveis - Estas dão tanto trabalho que eu quase desisto de comer!

Coco: Pra abrir o coco já é muito difícil pra mim (geralmente é necessário alguém com facão, como o meu pai), depois de aberto é necessária muita destreza pra tirar o coco com uma faca. Isso se a minha mãe não inventar de pedir pra ralar.

Goiaba: Esta se encontra aqui porque tenho trauma da bichinha. :( Há muito tempo atrás encontrei meio bicho da goiaba (porque vocês sabem, ou encontram meia goiaba ou não encontra nenhuma) e gata escaldada que sou não dou margem a futuros encontros. Não compensa.

Jabuticaba: Encontrada no caule da árvore (ô fruta que dá trabalho, perguntem à Jana, hehehe, ela também sabe) esta fruta se junta a outras e no meio ficam florzinhas não polinizadas que apodrecem e ocupam espaço.. por fim vc deve tirar um bocado (cuidado com maribondos/abelhas), depois lavar e só aí comer. SE passar por tudo isso, as frutas bem grandes compensam o esforço.

Melancia: Necessita uso de faca, quase nunca consigo fazer uma linha reta, o ideal é comer caindo de boca mesmo, o que resulta num banho de melancia. Bom de se comer numa varanda para descarte das sementes. Manga se encaixava nessa, mas já me acostumei a comer do jeito com faca (porém no caso da manga eu saio menos suja, já a melancia deve ser comida do modo tradicional, heheheh)

Melão: Casca bem dura, necessita de faca, mesmo problema de cortar uma linha reta para o consumo. Dá quase o mesmo trabalho pra comer que a melancia, a menos que eu coma com garfo, faca e prato com os dois mindinhos levantados.

Mirtilo: Também conhecida como blackberry (não o celular) quase nunca encontro a tal no Brasil (que chique! Como se eu viajasse também duas vezes por ano ao exterior mas tudo bem!), é uma delícia em conserva (única forma que já a conheci, nunca saí ao campo saltitando localizando mirtilos perdidos por aí).

Romã: Motivo pelo qual comecei esta lista, a bendita da romã é uma fruta da casca dura, com frutinhos dentro quase sem sabor, muito duros e que servem principalmente para serem jogadas (as sementes, 7 salvo engano) sobre o ombro no ano novo. Praticamente não como.

Tamarindo: Geralmente consumida para aquisição de tentos quando em campeonato de truco com primos no Tocantins. Tentativas frustradas do meu pai para que eu gostasse da fruta fizeram piorar o quadro. A bendita possui uma casca marrom que, quando quebrada, cola-se como super bonder na fruta dentro e não descola por nada nesta vida. Não vale o custo-benefício. (Mas eu comi, durante o campeonato – que valia uns 100 pontos/tentos – e consegui uns pontinhos para a minha dupla).

Umbu: Outro pobre personagem desta lista, nunca fomos formalmente apresentados, embora a polpa volta e meia tenha aparecido na geladeira/freezer ao longo da minha vida. Tentativas frustradas do meu pai para que eu gostasse da fruta fizeram piorar o quadro (onde já vimos este filme antes??).



Estas não são todas as frutas que existem por aí, é óbvio, é apenas uma lista que achei na net (deste site, o Toda Fruta) onde dei meu parecer. Isto é simples perto das ideias que a Jana queria colocar no meu texto, heheheh. Vocês não sabem do que escaparam.

O que me salva de me tornar uma mulher-fruta (além da óbvia presença de vergonha na cara) é que eu tenho deixado a desejar meu consumo dessas frutas. É, eu sei, shame on me. Mesmo assim quando eu como esta é a satisfação que encontro em cada uma. O que me lembra meu tio Paulo Afonso, ele me mostrou anos atrás como você come uma fruta e realmente degusta ela e reconhece que ela é uma dádiva divina por si só e deve ser apreciada com toda a atenção (nada de comer vendo tv, como é de praxe hoje em dia). Pequenos prazeres da vida esquecidos pouco a pouco. Mas quando revividos dão o seu recado.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

O leão e o aleijado

Momento Lamerico:


Tarde no circo. Era chegada a hora do numero do domador.
Todos olhavam atenta e apreensivamente o espetáculo, quando o leão aborrecidíssimo escapa da jaula e parte para cima da multidão. O corre-corre era geral. No meio da multidão, um pobre aleijadinho, girava nervosamente as rodas de sua cadeira-de-rodas, esgu
eirando-se pela multidão. Alguns, menos desesperados, gritavam:

- Olha o aleijado!!!!
- Olha o aleijado!!!!

E o aleijadinho, girava mais rapidamente as rodinhas...

- Olha o aleijado!!!!
- Olha o aleijado!!!!

E o aleijadinho, sem agüentar mais, gritou muito puto:

- Ô PESSOAL, DEIXEM O LEÃO ESCOLHER !!!!!!!!!






quarta-feira, 1 de abril de 2009

Coisas do mundo corporativo

Por Jana

É bom começar me apresentando não é?!

Eu sou a Jana, amiga da Helga dos tempos de facul (é já faz um tempinho), sou bibliotecária também e atualmente D. Helga só tem me ouvido reclamar de alguns assuntos recorrentes.

O principal deles? Secretárias!


Meu problema com elas é muito sério. Hoje ouvi 'coisas' e 'perguntas' de três diferentes, todas muitíssimo educadas com todo mundo acima delas na hierarquia e verdadeiras cobras com os 'oreia' que fazem a máquina andar.


Sinceramente não consigo entender qual é a questão. Por que uma pessoa não pode ser educada e cortês com pessoas que não mandam em ninguém? Por que gritar, não parar de falar e bater o telefone? Pra que ler os e-mails que os 'oreia' mandam informando tudo o que elas já pediram antes não é mesmo? O que elas ganham enviando e-mails para o chefe do chefe do 'oreia' em questão reclamando de algo que elas nem informaram que estava errado?


Não é pessoal, sei que acontece em todas as profissões e conheço várias secretárias que são legais e gentis com todo mundo, mas acontece muito da secretária achar que manda mais que seu próprio chefe.


Pois é, coisas do mundo corporativo.