sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Yorkshire

Quase sempre que saio de casa pelos fundos vejo o fofíssimo yorkshire dos vizinhos no quintal da casa. Às vezes late pra mim, fica ali solitário vendo a vida passar. Já cheguei perto dele e, tadinho, todo carente, me dando a maior atenção pela grade, lambendo e balançando o cotoco de rabo dele, todo bonitinho. Saindo de casa agora vi algo diferente: ele estáva do lado de cá da grade. Cheguei perto dele porém ele não entrou pra casa. Ele não sabia. Tentava pegar mas ele se afastava, uma pequena novela. Convenci-o-o ("sou eu, lembra? a tia que te dá um 'oi, cachorro' de vez em quando. Vou te sequestrar não") a vir comigo e dei a volta. A moça da casa disse que o cão tem o hábito de sair junto com o carro, apesar dos esforços da dona pra que isso não ocorra.

Não sou muito fã de cães/gatos perto de carros não. Gatos (como a que nós tínhamos) gostava de se esquentar em cima do motor (vez ou outra na roda, perto do motor) e cães ficam latindo e correndo em volta do carro ("me dá atenção! olha pra mim!") e ficando embaixo da roda. Ainda bem que o episódio do fofo cãozinho foi só um de "droga, fiquei trancado do lado de fora de casa".